Bons Sonhos! (Por José Passini)

Sábado, 22:30h no Rio de Janeiro. Lá pela Zona Oeste, no hotel do Botafogo, ia dormir o técnico do Botafogo, Alberto Valentim.

– Ohhh, Betinho! Betinhooo!

Escutava Valentim ao chegar num local que ele ainda não havia reconhecido.

– Vem cá, Betinho!

Dizia uma voz ja meio rouca. Valentim foi de encontro ao senhor, que falava de uma porta entreaberta. “Entre, rapaz”, dizia este senhor.

Ao passar pela porta, Valentim se deparou com uma mesa. Nela estavam sentanos ninguém menos que Garrincha, acompanhado de seu copo já pela metade, Quarentinha, Didi, com toda sua elegância, João Saldanha e é claro, Nilton Santos, que havia chamado o jovem treinador.

Valentim que ainda não havia entendido muito bem o que estava acontecendo, sentou-se à mesa com os ídolos do clube. Apesar de nervoso, ele perguntou porque estava ali. Com seu jeito irreverente, Mané Garrincha lhe disse:

– Porra, Alberto. Tu não quer ser campeão? A gente veio te ajudar!

– Te chamamos aqui porque sabemos bem como conquistar um título com essa estrela no peito, complementou Didi.

Valentim ainda sem entender como aquilo era possível, perguntou como eles fariam o Botafogo ser campeão.

– Vocês vão descer pra ajudar? Perguntou o técnico.

Mané, que estava bebendo tranquilamente, não se aguentou e caiu na gargalhada.

– Você tem que mostrar o significado de Botafogo pra eles. Se eles entenderem isso, serão campeões.

Valentim não acreditava. Quem disse isso era Heleno de Freitas, que havia saído de um canto escuro da sala.

– Eu não consegui fazer meu Botafogo ser campeão quando estava lá em baixo, mas quero ajudar daqui de cima, disse o Príncipe Maldito.

Nilton explicou calmamente o plano para Valentim. Disse passo a passo o que deveria ser feito. Ao acabar, disse a seguinte frase:

-Aquela torcida ama a todos nós aqui. Faça com que ela ame a vocês também e assim sua carreira terá valido a pena.

Valentim se levantou, despediu-se de um por um e quando ia saindo, foi interrompido por João Saldanha.

– Olha, rapaz. Preste bem atenção no que vou te dizer aqui. Todos eles foram campeões, mas só eu dirigi aquela equipe. Jogue com a torcida, você viu o que eles fizeram naquele treino. O título é seu, basta acreditar na força que vem deles.

Quando ia responder ao professor Saldanha, Alberto era acordado pelo despertador. Já era domingo, dia de final.

Ele respirou fundo, agradeceu por aquela noite e disse a si mesmo: Hoje é dia de fazer o Botafogo ser Botafogo de novo.

O resto da história? Bom, vocês já sabem. Valentim conseguiu viver o seu sonho, fazendo todos os botafoguenses sonharem juntos. Como o nosso personagem dessa história disse: O MARACA É NOSSO!

Obrigado por lutarem por nós, pelo João e por aqueles velhos rapazes da reunião. Vocês permitiram que todos nós sonhassemos juntos, mesmo estando acordados.

 Que não acordemos tão cedo! “Só mais 5 minutinhos…”, ou até outro título.

Abs,

José Passini Neto

Deixe uma resposta

Fechar Menu