Lua de mel entre Fla e Cruzeiro – o que é ser subdesenvolvido?

A final de time grande vem tentando demonstrar o seu tamanho tomando um rumo curioso. De maneira incomum, Flamengo e Cruzeiro vem rasgando elogios um ao outro em meio às redes sociais – e até pessoalmente. No aeroporto, um dia antes da decisão, o mascotinho rubro-negro deu boas vindas ao “maior de Minas” no Galeão.

Clima de amor: Flamengo e Cruzeiro deram match 

Há quem considere a parceria uma revolução. Um “novo começo” de cordialidade entre os clubes, similar ao “padrão europeu”, sonho de consumo dos scanners dos nossos colonos por aqui. 

Mas será que os “desenvolvidos” da população brasileira não notam a diferença que existe entre o mercado no marketing de ambos os lugares? Basta analisar o perfil dos torcedores.

Os fãs europeus reverenciam e acham digna tal “cordialidade” entre os adversários. A diferença está na sua relação com seus clubes – e com uma eventual perda de título em um a final de campeonato. 

Uma das tentativa de proteger a melação entre os dois finalistas da final da Copa do Brasil também tem sido o tópico “violência”. Como se fosse necessário amar e vangloriar para se ter respeito. Aliás, o tal clima entre as equipes, para mim, se aproxima menos do respeito que se ambos os times não fizessem campanha alguma. 

As atitudes de Flamengo e Cruzeiro nas redes sociais lembram muito aquele conhecido “pela saco”. Quando te vê, te cumprimenta, dá aquele abraço nojento com dois tapinhas nas costas e aquele sorrisinho falso te chamando de “mito”, dizendo que “temos que marcar aquela resenha”. Pelas costas, o filho da puta te fode de cima a baixo. É o que provavelmente acontecerá, caso uma das equipes for beneficiada com algum gol impedido ou pênalti mal marcado. O clima de “cordialidade” se vai por um instante, e a final de time grande viraria um gigante papelão.

Há quem diga também que nós, que reprovamos tal melação forçada, somos subsesenvolvidos adeptos à violência – como se tivesse uma coisa a ver com a outra. Afinal, como já dizia meu amigo flamenguista, Leonardo Leal: você acha que é motivo cair na porrada por causa de clubes se provocando em redes sociais, e o subdesenvolvido sou eu?

Nem rivais fazem isso. É a prova de Palmeiras e Santos, que protagonizaram uma das finais mais emocionantes de Copa na história: 180 minutos e disputas de pênaltis emocionantes, com muita provocação, rivalidade, alfinetada, futebol no pé e sangue nos olhos; e acima de TUDO, respeito, limites e, principalmente, paz. Em uma final com um clássico paulista, não houve relatos de confusão por conta das provocações de contas dos clubes. 

Então, pergunto: quem é mais subdesenvolvido? O cara que reprova uma forçação de barra que chega a dar enjoo? Ou o que é tão infantil que se sente influenciado a brigar por conta de ~tweets de time de futebol~ ? Eu tenho minhas convicções.

 

Abs,

Daniel Braune 

Este post tem um comentário

  1. Olá sou mãe e me preocupo muito com a saúde do meus filhos, sempre que posso procuro viajar para distrair um pouco e nada melhos que viajar. Obrigado pelo conteúdo do seu blog me ajudou bastate. Thau e até mais…

Comente!

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: