MINHA MONOGRAFIA – NECESSIDADE DE ATUALIZAÇÃO DO JORNALISTA NO FUTEBOL

Chegando próximo ao oitavo período da faculdade, em meados do ano de 2018, chegava a hora de escolher o tema do meu futuro projeto de monografia para a conclusão do curso de jornalismo, no primeiro semestre do ano seguinte. Em dúvida entre alguns temas, um deles remetia àquilo que mais me incomodava desde que ingressei no meio acadêmico e corporativo no jornalismo: a desatualização do profissional da área dentro do meio futebolístico.

Fui aconselhado por alguns a não escolher esse tema, uma vez que iria de encontro com a própria corporação do curso. Foi aí que decidi certamente a seguir esse tema para dar início ao meu projeto: a necessidade de atualização do jornalista no futebol. 

Afinal, que necessidade toda era essa? Pois bem, a atualização e o desenvolvimento deve-se, de maneira central, ao tempo. É o aspecto temporal o responsável por causar a desatualização – e estimular o fim dela. No futebol, sentia a falta desse estímulo por puro comodismo em dois aspectos: o campo da tática e as questões da arquibancada. 

Quantos comentaristas não vemos externar opiniões regadas de achsimo sem o menor embasamento conceitual, ou base alguma em cima de fundamentos que qualquer profissional simples de execução no futebol compreenda? Mesmo não sendo um treinador ou membro de comissão técnica, é seu dever passar ao espectador um conteúdo minimamente embasado naquilo que acontece. Se não, vira um diálogo de torcedor engravatado ao torcedor trajado da camisa de seu clube.

Na arquibancada, é mais grave e perigoso ainda. O jornalista não entender a respeito da cultura da arquibancada, os processos para realização de festas das torcidas ou não fazer a menor ideia sobre como diferenciar certos artefatos usados por grupos para apoiar seus times, é um erro grave. Tal desconhecimento e ignorância pode resultar em proibições severas por parte da justiça que, sem a imprensa para indagar direitos do torcedor e de torcida previstos em estatutos por lei, podem causar traços de ditadura ao consumidor dos estádios de futebol. Muitas vezes, o próprio jornalista influencia essa antidemocracia de maneira preconceituosa, sem entender alguns aspectos e se deixando levar pelo senso comum, propositalmente ou não. 

Os dois objetos de estudo são o DataESPN, criado pelo jornalista e analista tático Renato Rodrigues, que buscou inicialmente mudar os conceitos de profissionais da imprensa quanto à análise do jogo, mas viu seu projeto virar um braço/núcleo à parte, e não uma base. O segundo foi o episódio da morte de Kevin Espada, torcedor boliviano atingido por um morteiro vindo da torcida do Corinthians em uma partida em San José, em 2013. Desde então, a imprensa esportiva, sem apurar as investigações como fez a imprensa geral, passou a banalizar todos os artefatos que tanto eles mesmos elogiavam antes do ocorrido, e a generalizar torcidas e torcedores de maneira totalmente preconceituosa.

Meus agradecimentos especiais para a realização deste projeto além de familiares e amigos, vão especialmente para Lilian Saback, professora orientadora da PUC-Rio; Lucas Evangelista, também formado pela PUC-Rio e repórter da Rádio CBN; Mauro Silveira e Alexandre Caroli, professores e integrantes do projeto COMUNICAR na PUC-Rio; Renato Rodrigues, jornalista da ESPN Brasil e analista tático de futebol; Raphael Rezende, comentarista dos canais SporTV; Gabriel Fortuce, analista tático e fundador do portal Entrelinhas do Jogo; Fabiano Bandeira, jornalista e professor de educação física; Leonardo Ribeiro, economista, torcedor do Botafogo e especialista em questões burocráticas de arquibancada – tal como Cláudio Guedes, representante da Torcida Jovem do Botafogo e estudante de contabilidade da UERJ, e Marcos Rosa, coordenador da Cruz Vermelha. Todos esses citados colaboraram assiduamente com diretrizes para a realização da monografia, com orientações, dados, entrevistas, números e referências que tornaram a análise do levantamento da tese sucinta.

Quer saber mais a respeito? As causas? O caminho para o processo de desatualização? O porquê de uma atualização não ocorrer? As graves consequências disso tudo? Confira todo o meu projeto no arquivo salvo em PDF, anexado a seguir. Para acessar no Scribd, basta clicar:

NECESSIDADE DE ATUALIZAÇÃO DO JORNALISTA NO FUTEBOL – DANIEL BRAUNE.

Boa leitura!

Daniel Braune

Deixe uma resposta

Fechar Menu